segunda-feira, 13 de julho de 2009

Um barco ou um prédio?...








São grandes, levam centenas e centenas de pessoas dentro. São os Resorts ambulantes! No caso deste, levava cerca de 5.000 pessoas com a tripulação. Salões, piscinas,escorrega, pista de corrida, corte de ténis, SPA, casino, Igreja, cinema e teatro. Uma rua de lojas, bares e restaurantes. As actividades que começam às 7h da manhã acabam com o raiar do Sol. Desenganem-se os que pensam descansar... è um stress permanente. As noites exigem os vestidos especiais, um convite à diversão. E eu que não sei dançar...nem jogar! O casino está cheio, de onde nasce tanto dinheiro? Estamos em crise? Mas decerto não é para todos. Só aumentei um quilograma. Não gosto das comidas com muitos molhos e repetitivas. O arroz de cabidela e o cozido à portuguesa, não faziam parte. O mar estava um lago e a cama grande era boa. O silêncio para ouvir o mar, da minha varanda, era a parte melhor. A visita a Malta, Palermo e Tunes foram muito interessantes. Roma e Barcelona, nem falo. Afinal, já por lá tinha passado, umas dúzias de vezes, em trabalho e lazer. Vou postar algumas fotos por aqui. Espero que apreciem.

7 comentários:

Zé Povinho disse...

Eu não suporto durante muitas horas viver em espaços confinados, mas é mais normal os portugueses gostarem de andar por centros comerciais de grandes dimensões, por isso o mal é mesmo meu.
Boa viagem
Abraço do Zé

©tossan disse...

Passo meu sonho num navio,
navio em cima do mar;
depois, abro o mar com as mãos, para o meu sonho entrar...
Cecília Meireles

A primeira foto é o encontro do novo e o antigo. Belas fotos!

mundo azul disse...

________________________________

Deve ter sido uma ótima viagem, Angela...

Sou um pouco parecida com o Zé Povinho...Não sei se gostaria de ficar tantos dias sobre as ondas...

Os baile na noite...Esses eu adoraria!


Beijos de luz e o meu carinho, querida Angela...

________________________________

O Profeta disse...

Ao meu querer!
Dias noites, estações esquecidas
Inventei sonhos para sonhar
Lavei mágoas, dores perdidas

Uma árvore toca as águas da lagoa
O nevoeiro faz desenhos nas cumeeiras
Um Melro negro solta um pio ao acaso
A palavra quero-te diz-se de mil maneiras


Convido-te a ver a Cor da Claridade


Doce beijo

João Videira Santos disse...

Estes "barquinhos"...um sonho!

Ainda que mais pequenos, se nunca "experimentou", recomendo um cruzeirinho pelos Fiordes...

É que há muitos paraísos e os Fiordes, lá bem no norte da Europa são um sonho e um convite a pensar que a vida é uma coisa maravilhosa...(rsrsrsrs)

(agradeço a lembrança do meu aniversário)

Beijo

O Guardião disse...

Eu estou parado uns dias, para descansar o esqueleto e festejar o aniversário, por isso agitação é o que menos me apetece. Os Açores acenam-me para as férias de Setembro, assim haja vontade da minha companheira.
Cumps

Angela Ladeiro disse...

João, se voltar por aqui, saiba que esse cruzeiro nos Fiordes, é do meu conhecimento. Há cerca de 10 anos, aluguei um carro na capital e toca de correr a Noruega. Que de resto é lindíssima. Os Fiordes e tudo o resto. Adorei e penso vir a repetir. Talvez no próximo ano.